terça-feira, 2 de novembro de 2010

Beijos, bom tê-los, melhor ainda esquecê-los

Tudo bem que algumas lembranças são boas, porém aqui vai um Top 5 pra tentar esquecer uma bitoca:
1. Se o beijo foi bom, mas o cara foi um idiota, melhor mesmo esquecer como era beijá-lo para não cair na tentação .
2. Se o beijo foi ruim nem preciso dizer por que você deve esquecer, né.
3. É bom esquecer os beijinhos da mamãe/amigas pra você sempre dar valor a eles.
4. Esqueça também os beijinhos falsos, eles não te fazem bem na hora, e muito menos depois.
5. É bom esquecer, principalmente, dos beijos do amado, para que cada novo beijo seja como a primeira vez

sábado, 30 de outubro de 2010

Conto sobre o poeta-mor


Boca com sabor de manga, calça com a cor de morangos. Sentou, pegou seus textos e começou a lê-los, não por gostar do que escrevia, mas por sentir que tudo aquilo que jazia nas folhas era algo passado, exorcizado, jogado fora do coração, para os ventos de quem um dia iria ler aquelas palavras e nunca, nunca, jamais, conseguir interpretá-las do modo como queria. Deveria ser por isso, ou pelo simples fato de ser tímido, que evitava falar com os fãs; não suportava ser questionado sobre um possível duplo sentido em uma frase ou ter que explicar o sarcasmo de algum texto.
Era tido como ignorante, marrento, porém no fundo concentrava um quê de bom que não queria mostrar pra ninguém por medo de ser interpretado como romântico. Ele era romântico, é verdade, mas ser chamado de romântico pelos outros subentendia que era também um sofredor, e depois de tanto sofrer era esta imagem que não queria mais mostrar. Preferia aquela imagem decadente e superior que tinha agora, de fumante bebedor e sedutor das menininhas. Esta imagem de anjo pornográfico, meio Bukowski, que o deixava mais forte, confiante.
Não escrevia sobre as estrelas da Califórnia ou sobre os prazeres de se estar apaixonado. Escrevia sobre tiros nos ombros ou sexo em locais públicos. Talvez pensasse que ao escrever sobre o amor este também iria sair da sua vida e isso, só isso, só o amor, era o que realmente buscava.Queria amar, queria casar, ter filhos, ensinar-lhes a tocar os instrumentos musicais que nunca conseguiu aprender, queria ir ao teatro e no meio da peça se declarar a amada, queria poder beber e no auge da loucura resultante de tanto whisky atacar a sua esposa no meio da noite.E literalmente morrer de amor.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Não cabem spoilers na paixão

Ela está definitivamente apaixonada. Olho para ela, e em qualquer momento a vejo olhando para o nada com um sorriso no rosto. Isso tudo seria muito lindo, se eu desde pronto já não soubesse que em pouco tempo ela estará mal, muito mal.
Ela sofrerá com o fim, com o modo que será o fim, com os planos que fez e que não se concretizarão, com os sonhos, presentes, músicas que eram especiais para os dois e, sobretudo, com o sentimento que ainda ficará no seu peito mesmo depois do romance ter acabado. Sei disso tudo por que já passei por isso, porém de nada adiantaria se chegasse agora e falasse a ela o que sei, ela simplesmente não acreditará, porque é mais fácil acreditar nas borboletas que tem no estomago antes de cada encontro com ele. O ser humano é assim mesmo, igual aquele cara da Bíblia, Tomé o nome dele, né? Só acredita vendo. No caso de apaixonados, só acredita sofrendo.
Ao todo isso não é tão ruim assim.Sofri com o fim, é verdade, mas o começo e o meio foram deveras muito prazerosos. Ela vai aproveitar, ah isso vai.Deixa assim como está, ela recebendo o que merece, na dose que merece.Na hora certa eu apareço e dou o meu ombro pra consolo.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Tenho inveja do Woody


Fico me perguntando como o Woody Allen sobrevive a esse mundo, como ele enfrenta os problemas diários e ainda consegue fazer arte. Deve ser aquele clarinete que ele toca, só pode. Ao tocar aquilo as dores vão vazando e o que fica nele são só as coisas que se pode suportar. Ai, ele não me engana, aquilo é sim um instrumento mágico e só por meio dele dá pra viver em com tanta falsidade e desamor.Vai ver que se um dia eu tivesse ido até o fim nas aulas de piano, ou de violino, ou de gaita, ou até mesmo violão; conseguiria passar por tudo isso bem, também.Mas não sei tocar nenhum instrumento musical, e o mundo só vai jogando as pedras no meu caminho, e eu continuo aqui sofrendo e vendo os filmes desse carinha.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Conto bonitinho e sem fim

Ontem eu presenciei o nascimento de um possível romance.Ele e ela estavam no ponto de ônibus.Ele a olhava enrolar o cabelo impaciente, Ela olhava a rua.Passaram uns cinco minutos assim.O ônibus finalmente chegou.Ele entrou rápido, me fazendo pensar por um momento que tudo tinha acabado.Ele passou pela catraca, e rapidamente pagou a sua passagem e a dela.Sem ter como recusar, Ela ficou só com cara de assustada.Virou rapidamente para agradecer e foi olhar a janela.Pensei que tinha acabado ali, que Ela agora só lembraria daquele dia como um dia estranho, mas Ela me surpreendeu: levantou e foi sentar ao lado dele.Perguntou novamente o porquê dele ter feito aquilo.Ele foi sucinto, simplesmente disse que gostou dela de primeira e queria agradar.Ela riu, disse que isso nunca havia acontecido com ela.Ele disse que era assim, sentia de primeira se gostava ou não das pessoas.Ela perguntou o nome dele, o que ele fazia, e ele foi respondendo, aos poucos, criando até um certo mistério.Ele contou algo engraçado, ela riu.Eu tinha que descer, estava chegando o meu ponto final, mas eu não queria sair assim, sem saber daquele fim ( ou se seria só o começo) .Fiquei a imaginar se eles trocariam telefone, se rolaria outro encontro, um namoro, talvez filhos...

sábado, 21 de agosto de 2010

Do futuro nem eu sei

Sentei naquela mesa só por ter que esperar passar um tempo.Pensei até em pedir algo para comer, mas me deu preguiça.Ultimamente estava com preguiça de tudo, do mundo, de viver.Comecei a olhar para o nada e do nada meus olhos encontraram na mesa quase em frente aqueles 2 meninos e as 3 meninas, com seus 60 e poucos anos e cabelos grisalhos, todos animados com o passeio do dia seguinte.Lembrou de certa forma eu e os meus amigos, que não nos reuníamos mais assim, mas quando fazíamos isso éramos muito parecidos com aquele grupo.Fiquei pensando se em 50 anos estarei feliz.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Os erros que cometi ( Ou conversa de corpos nus )



Eu imaginei a noite perfeita pra nós dois.A cama seria a de sempre, localizada no nosso gelado quartinho em cima do bar de toda sexta.Você estaria deitado do lado esquerdo, com o braço direito ao meu redor, eu estaria logicamente do seu lado direito, oposto ao coração, fumando meu cigarrinho e brincando com o lençol.O diálogo seria o seguinte:


- Eu ficarei sozinha quando você começar a namorar.E eu sinto que isso acontecerá em breve.
-Você acha?
- Acho sim.Seu coração finalmente está aberto a uma nova paixão, e com o seu jeito galante logo uma moçinha vai pintar dentro dele.
-Mas nós podemos continuar nos encontrando, não precisa de hiato.
-Largue de ser bobo, não será um hiato, será um ponto final.Se é pra namorar que seja direitinho, eu serei a melhor amiga da sua namorada, daquelas amigas que falam tudo o que aconteceu quando ela estava longe.
-Não imagino você assim.
-Pois imagine.E me imagine ranzinza também, mais até do que já sou, porque sem sexo a minha vida será assim.
-Mas você pode conseguir um novo alguém, você é bonita, sedutora, vai esquecer de mim rapidinho.
-Novamente, não seja todo, por favor, você irá me fazer vergonha ao pensar que me envolvi com alguém tão bobo assim.Você me conhece, sabe que não me entrego rapidamente assim.Não morrerei sem beijos, mas um novo relacionamento será dificil.E nem sei se será relacionamento, já que acho que nem nasci pra isso.
- Lá vem você com as suas teorias..
- Sim, minhas velhas e queridas teorias sim! Eu acredito fielmente que nem todo mundo nasceu para o amor.Algumas pessoas se destacam no trabalho, outras nas amizades, outras na familia, mas nem todo mundo nasceu pra se destacar no amor.Não que sejam todas abstinentes de sexo e beijo na boca, claro que não, mas nem todas encontram O preenchedor do coração, é invitável.Chega até ser ridiculo acreditar que todo mundo, independente da vida que leve, terá um amor verdadeiro.
- E você se conforma com isso ?
-Não me conformo não ! Adoraria que fosse diferente, que eu fosse feliz, mas isso não acontece.Eu trato logo de fazer uma besteira, estragar tudo e passar anos lamentando, para depois acreditar que achei a oportunidade para ser feliz, mas o ciclo de erros continua..
- Poderá ser diferente.
- A única pessoa com que eu queria que fosse diferente é a pessoa que está nua deitada ao meu lado exatamente agora.E veja como estamos.
-Eu também queria que fosse diferente.
- Eu sei.


Ao fim da conversa, nossas roupas seriam colocadas e sairiamos do frio para o calor, da união para o fim.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Do fundo II

-Lembra do nosso último beijo?
-Não.
-Foi tão insignificante assim pra você?
-Não.
-Então porque não lembra mais do que aconteceu entre nós?
-Porque gosto de lembrar o passado e quero acreditar que todos os nossos beijos fazem parte ainda do meu presente.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Apenas o fim


O erro fui eu quem cometi.A culpa de toda essa confusão é minha.Eu não soube medir os atos, contar as garrafas e acertar o passo pra estrada certa.Levei você até um ponto onde voltar foi doloroso.Fiz o mal e agora, infelizmente, não há reparação.A solução mais fácil é fugir e vai ser essa que eu vou aceitar.Só lhe peço que daqui a um tempo, possa conseguir equilibrar uma noite ruim a todos os outros períodos bons que passamos juntos.Minhas vibrações serão sempre as melhores para você.Tenho que ir, mas que esse não seja apenas o fim.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Assisto aula, logo escrevo para o blog.

Durante uma boa aula de filosofia meu professor solta a seguinte frase: ‘’Eu tenho a fórmula do amor’’. Acompanhado pelos olhares ansiosos de todas as menininhas apaixonadas da sala, ele escreve na lousa branca:

amor = desejo = falta

Seguindo esta lógica, seria correto afirmar então que só amamos aquilo o que não temos? Nem tanto. Mesmo sendo correspondidos, ainda sentimos falta de afeto, de atenção, ainda desejamos, sentimos ciúmes, temos medo de perder, mesmo que em níveis e formas desiguais.O ser humano é um ser confuso e os seus sentimentos não poderiam ser de outra forma.Cada um ama de determinada forma, e mesmo que o outro o ame, será diferente ( e normalmente pensaremos que amamos mais do que os outros).
Então quer dizer que todas as nossas confusões mentais e nossas crises amorosas são sem fundamentos? Também não. Por não ter algo, às vezes, ai que queremos... ou não.Ou eu esteja só filosofando demais e vivendo de menos.

domingo, 14 de março de 2010

Karma


Eles fizeram uma estátua de nós.Trinta e cinco homens de ferro segurando armas no meio da praça principal da cidade, que grande alegria.Os únicos homens que conseguiram matar os velhos, destruir os campos, acabar com os sonhos das crianças e no fim voltar pra casa e serem aclamados como heróis.
Que grande circo, que mundo cercado de idiotas.Querem colocar minha foto em um outdoor, querem que eu dê entrevistas, querem falar de mim na próxima aula de história.
Não deveria servir de exemplo, o que essas pessoas tem na cabeça que pensam que ir à guerra é algo bom ?Eu sou, no melhor dos casos, mais um iludido pelo espirito do patriotismo.

Eu matei, mereço ser preso.
Eu matei, preciso ao menos pedir perdão.
Eu matei.
Eu tenho que morrer.





Obs: escrito ao som de Us, da Regina Spektor.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Just take or leave it


Piuííí! Soa o apito do trem anunciando que a locomotiva está prestes a sair. 15 minutos, só mais quinze minutos. É o tempo que eu ainda posso te esperar, querido, apresse-se!A casa eu já deixei arrumadinha do jeito que você mais gosta: chá prontinho, cookies, a vitrola tocando o Rubber Soul dos Beatles e a roupa passada em cima da cama. A chave lhe dei um tempo atrás, sabia que um dia ia precisar. Espero que se sinta bem, que aproveite, se arrume e não atrase. Não aguento essa espera. É a sua última chance de me acompanhar nessa viagem. Sinto que todos os outros convites que fiz você nunca levou a sério. Estou ansiosa, acho que tudo será muito melhor ao seu lado, por isso comprei as passagens adiantadas, sem mesmo saber qual seria a sua resposta. Quero acreditar que as minhas chances de quebrar a cara são mínimas, quero ignorar as recomendações dos amigos, quero arriscar, tudo por você.
Pif-paf. Pif-paf.Os motores do trem estão mais que prontos.10 minutos.Você já deve estar no carro de passeio a caminho da estação.Deixei todos os dados escritos, não tem como se perder.Deve ser o trânsito, só pode.O Henry Ford está ganhando muito dinheiro,agora todo mundo quer comprar um automóvel.Ainda bem que você compartilha da minha idéia de que carro só atrapalha nossas vidas.Ainda bem que você curte as mesmas músicas que eu.Ainda bem que você suporta o meu cigarrinho matinal, que bebe vinho ao invés de cerveja e não tem a mania de deixar os sapatos espalhados pela casa. Ainda bem que te encontrei.
Piuííí! 5 minutos.Vou entrar logo e marcar nosso lugar.Você já deve aparecer correndo, com aquele seu sorriso nervoso, pedindo desculpas,já você não calculou direito o tempo que gastaria.Eu aceitarei, claro, típico ato seu, mas que eu suporto, assim como suporto sua cara vermelha e inchada ao acordar, assim como suporto suas aventuras na cozinha, seu vício na jogatina e sua aproximação com todas aquelas mulheres do jóquei.
Pif-paf. Pif-paf.1 minuto.Procuro, procuro, olho em todos os locais da estação através do vidro da janela do trem.Te encontro.Você sorri.Acena.O trem começa a partir.Cadê a sua mala?Por que não está correndo pra entrar no trem?Levanto, vou ter que pedir pra pararem, claro, mais ai você me surpreende, como sempre, desde a primeira vez que nos vimos: acena, consigo ler seus lábios dizendo ‘’adeus’’ e ai vira as costas.
Tic-tac. Tic-tac.O trem parte, toma o seu rumo.Eu me perco, sem destino.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Do fundo

Ele não é ele, ele não existe, é só uma projeção dos meus desejos e das minhas loucuras.
Ninguém é perfeito e nessa imperfeição que eu acho que tudo nele se encaixa. O jeito como caminha, sua fala mansa, o cheiro das camisas pretas (e o fato de serem sempre pretas), o roçar dos nossos cachos, as brigas corriqueiras.
Tudo chega a ser tão lindo e adorado, que todo mundo pensa que é amor, porém não é.É desejo, admiração, vontade, mas não é amor. Amor perdoa, sonha. Não perdôo e nem quero sonhar nada com ele. Com ele quero só viver e no dia que a vida não der mais certo que então chegue ao fim.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

London is lovely so

Um post atrás, exatamente nesse aqui eu falei que gostava de fotografia.Não, não mudei de ideia, ainda adoro, sou viciada, posso passar horas procurando diferentes ângulos e técnicas pela net, e normalmente eu faço isso.Hoje, escutando London, London , música do Caê, porém tocada pelo Devendra Banhart aqui no player, resolvi procurar fotos de Londres, que é uma cidade que sempre me fascinou e que pretendo visitar em breve.Tá, já vi milhões de fotos de lá, mas procurando umas ainda mais diferentes, achei esta aqui, da London Eye, ou popularmente conhecida como a maior roda gigante do mundo:



Achei linda e resolvi procurar mais registros desse cartão-postal , e contando com a foto inicial, ai vai o meu Top 10 London Eye Shots:



Shot por : Tuxa e Alex










Shot por : Helder Ribeiro












Shot por : Paulo Jorge A.C.Pereira





E, por último, mas não menos importante, não pelos protagonistas, mas pelo significado de que todo turista tem que tirar uma foto neste lugar, temos Sandy e Jr, ooops, Sandy e o seu marido, na clássica polaroide turista que eu um dia postarei em algum lugar:




Agora voltando para onde tudo começou : video

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

- O que foi?
- Nada.Só aquela sensação de que estou exatamente onde queria estar.
- Hum.
- Posso te pedir uma coisa?
- Claro.
- Das minhas verdades, por favor, não ria.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Meu globo de ouro e papelão - Resultados



No dia 15 de dezembro de 2009 saiu a lista de indicados ao Globo de Ouro e eu fiz as minhas apostas nesse post aqui . Pois bem, ontem ocorreu a cerimônia de premiação e eu vou conferir se acertei algo ou não.


Como Melhor Filme Dramático eu tinha apostado em Inglourious Basterds, porque adoro Tarantino e por ter sido, pra mim, o melhor filme do ano; porém o bem-sucedido Avatar levou a melhor nessa categoria e na categoria de Melhor Diretor , que foi para o James Cameron.Mas não fiquei de todo desapontada com isso, já que assisti Avatar, não achei tão ruim como algumas criticas tem colocado, e de forma indireta Inglourious levou um prêmio, com o Melhor Ator Coadjuvante dado para o brilhante Christoph Waltz.
Confesso que fiquei surpresa com a derrota de Avatar na categoria Melhor Canção Original , não só por eu ter apostado nela, mas porque achei a vencedora, Crazy Heart, "The Weary Kind", bem fraquinha mesmo.Mas quem sou eu pra discordar, né? Ganhou o Globo, ganhou.Tinha apostado em Avatar para Melhor Trilha Sonora , mas o vencedor foi Up -Nas alturas ,e ,que milagre!, é uma animação que ainda não assisti, mas todo mundo suuuper elogia.Ta aí, mais um motivo pra ir na locadora mais próxima pegar e ver !
Eu apostei em Se beber, não case na categoria Melhor Filme de Musical ou Comédia e acertei! Acertei também na categoria Melhor Atriz de Musical ou Comédia, com a queridíssima Meryl Streep por Julie e Julia.


Olha a carinha de bobo do Tyson :~D

Como Melhor Ator de Musical ou Comédia eu coloquei o Joseph Gordon Levitt, por 500 Dias com Ela, mas o vencedor foi o Robert Downey Jr., por Sherlock Holmes, e por tudo o que tenho escutado sobre esse filme (ainda não tive a oportunidade de assistir, infelizmente) acho que ele mereceu ganhar. Errei também na categoria Melhor Atriz Coadjuvante , quando coloquei Julianne Moore por A Sin¬gle Man , quando quem ganhou foi Mo'Nique, por Preciosa , e Melhor Roteiro foi para Amor sem Escalas, de Jason Reitman e Sheldon Turner .
Para TV, tinha colocado True Blood na categoria Melhor Série de TV (Drama) e o vencedor foi Mad Men. Continuando com o meu gosto por TB, apostei na Anna Paquin como Melhor Atriz em Série de TV (Drama), mas quem ganhou foi Julianna Margulies, por The Good Wife.
Glee para Melhor Série de TV (Musical ou Comédia), e não tinha como não acertar essa! Melhor Ator em Série de TV (Comédia ou Musical) não foi para Glee, como tinha apostado, mas para Alec Baldwin, por 30 Rock, Melhor Atriz em Série de TV (Comédia ou Musical) também não, já que foi parar nas mãos de Toni Collette, por United States of Tara e Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Filme produzido para TV para Chloë Sevigny, por Big Love, o que me deixou muito desapontada, mas ok, fãs nunca estão satisfeitos mesmos quando o que eles gostam perdem, né?


É, errei bastante, mas o que importa? O legal é assistir, apostar, torcer até os últimos instantes pelo seu favorito. E olha, eu fiz tudo isso ontem, via internet mesmo, e me divertir. Quero assistir o maior número de filmes que puder esse ano, do mais trash ao mais cult, e vou fazer a minha listinha pro próximo Globo de Ouro, anotar( ou postar, vai saber) e curtir, como sempre.Super recomendo!